Minha Vida Indesejada (part²)

image

Nossa Ilha
Passei a tarde inteira pensando em Eduart, quase fui atropelada por isto.
Já são 5:30pm e ele combinou de nos encontrarmos as 6:00pm. A insegurança e a timidez está se lançando.
A gente se vê todo dia e hoje a insegurança de falar com ele está maior. O que pode haver de errado? Se eu fizer algo vai ser total desastre!
Já estava quase chegando ma hora e fui me arrumar. Coloquei uma saia desta vez, uma blusa de uma banda e um all star claro.
Estava indo para ilha e meu celular toca, nesse momento já tinha visto Eduart. Era Fanny, estava com uma voz de quem chorava muito, me preocupei ainda mais. Ela queria que eu fosse até a casa dela, pois precisava de ajuda.
Nesse momento parei pra pensar, ir na ilha com Eduart ou ir a casa da minha irmã?
Fanny claro, vai que havia acontecido algo ruim. Precisava ir.
Não tinha importado com Eduart naquele momento, família em primeiro lugar.
Cheguei em casa, fui ver o que era, nosso cão de estimação mais querido tinha morrido. Pode ser só um gato mas, ele está com nós desde que eu tinha 05. Ele foi meu único animal de estimação por todos estes anos. Me senti triste, mas é a vida. Tudo que nasce morre.
Levamos para cemitério de animais que tem aqui na cidade, e voltamos para casa.
Ao voltar para casa, meu celular vibrou. Era uma mensagem de Eduart perguntando onde eu estou. Liguei e expliquei.
Ele entendeu e combinou de irmos amanhã na “Nossa Ilha”.

Naquela noite

Resolvi criar um blog chamado “Minha Vida Indesejada” para falar de tudo, desabafar, falar tudo o que passo. Mas naquele blog não falaria minha identidade real, seria apenas mais uma blogueira desconhecida.
A primeira coisa que fiz foi contar para Fanny, pois ela é a única pessoa (tirando meus pais) que sempre está do meu lado.
Ela achou ótima ideia.
Fiz tudo certinho e fui pensar em Eduart.
O que eu mais queria é que ele me ligasse mas não, ele não fez nada.
Liguei para ele, e conversamos.
Expliquei que estava tudo certo e do nada ele pediu que fosse à praia. Não havia nada de importante e fui a praia.
Ele estava com alguém não tinha visto o rosto mas, parecia ser uma garota.
Dito e feito, era uma garota.
Era Emily, a garota mais desejada do nosso bairro, da nossa cidade. A garota que tenho mais ódio.
Mas, o que ela estava fazendo com Eduart? Dai veio Eduart a falar..
_ Lenny, tenho algo para dizer.
_ Diga Eduart.
_ Eu e Emily…
Nesse momento meu coração parou, senti algo que não sei explicar. Eles podem estar namorando? Podem está confirmando o namoro? Tudo o que deveria pensar, pensei. E ele completou:
_ (…) queríamos te dar este presente..
_UFA!! Mas por que presente? E Emily, por que veio?-perguntei.
_ Queríamos te dar uma lembrança de Buddy.
_ E eu vi um blog e achei melhor  conversar com você, aliás sempre quis ser sua amiga.- Emily se explicou.
Naquele momento vim que ela tinha entrado no meu blog e visto minha primeira matéria, que falei sobre mim e sobre o que acho de “julgar uma pessoa pela aparência”.
_ Muito obrigada mesmo gente, novas amizades são bem-vindas Emily.
Vi que ali eu poderia fazer novas amizades, que o blog poderia dar certo e que Emily não é quem eu achava que era.

Eu não aguento.

Você poderia se tocar e ver o que se trata.
Está na cara. Você que não enxerga.
Eu não tenho certeza mas, sempre senti isso por você.
Eu já não aguento mais. Você acha que ainda não sou aquela garota que era quando estudamos juntos.
É a mesma coisa até hoje.
Mas você resolveu se afastar e virar um adolescente “famoso” em tudo em que é canto. E me esqueceu.
E nossa amizade? E nossas festas do pijama? Você não lembra de tudo que passamos?
Parece que não, mas deve.
Não importo mas cansei de esperar. Passei muitos anos te vendo da janela da minha casa. Não é atoa que te falava isso.
Mas na verdade não. Tudo o que falei e tive que expressar aqui não te disse. Pois não tenho coragem.
Espero que perceba o antes que puder mas, nunca se esqueça que sua amizade é mais importante do que muitas pessoas por ai.
Te liguei e comecei a chorar. Não era pelo Buddy mas fingi que sim. Era um problema que nós temos e não gostamos: iludir.
Era a primeira vez que isso aconteceu, nunca tinha chorado por algum menino mas foi o que aconteceu.
Você se preocupou, mas resolvi despedir. Não contei a verdade e achei melhor que não.
E assim se passou minha noite, ruim mas à de melhorar.

Eu sei que posso..
Quer saber mais??? Então venha sábado e confira a Part³!!!! Você vai perder??

Quer receber notificações de quando terá matéria nova no blog??? Então entre em Menu/contato e clique em seguir por e-mail, e fique dentro do Blog da Tímida!!!

Me segue nas redes sociais!!
Facebook: http://www.robertasales560.facebook.com
Snapchat: Roberta.sales13
Twitter:@blogdaTimida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s